Whatsapp Pay: O que é e como usar na sua empresa

Todos já conhecem muito bem o Whatsapp. O aplicativo para troca de mensagens que se tornou uma ferramenta utilizada por 9 entre 10 brasileiros. Depois de lançar o Whatsapp Business, agora o Whatsapp lançou o Whatsapp Pay, uma forma de enviar e receber dinheiro pelo próprio aplicativo, sem a necessidade de sair da conversa e muito menos de ter que utilizar um outro aplicativo, como por exemplo de um banco, para realizar essa operação. Mas, como isso funciona realmente? Como pode beneficiar você e sua empresa? É isso que vamos explicar no artigo de hoje. Vamos conhecer melhor sobre o Whatsapp Pay: O que é e como usar na sua empresa? Vamos lá!

O que é Whatsapp Pay?

O Whatsapp Pay, que no Brasil chegou como Whatsapp Pagamentos, é uma forma prática, oferecida pela empresa Whatsapp, de seus usuários enviarem e receberem dinheiro, direto pelo aplicativo. Segundo a empresa, esta função será disponibilizada aos poucos para todos os usuários. A função de pagamentos tão esperada já havia sido aprovada pelo Banco Central no Brasil, ainda em março, porém somente agora ela foi de fato lançada para o público. A ferramenta consiste na possibilidade de durante uma conversa o usuário enviar ou receber dinheiro sem a necessidade de utilizar um aplicativo de terceiros ou sair da conversa para realizar esta ação. É claro que você terá que cadastrar um cartão do seu banco no aplicativo para que esta função funcione. Por enquanto, somente cartões de débito são aceitos na plataforma.

Quais são os bancos e cartões aceitos no Whatsapp Pay?

Como citado acima, atualmente somente cartões de débito são aceitos na plataforma. Isso quer dizer que você sim, deverá ter uma conta em um banco para poder utilizar o recurso. As bandeiras aceitas no momento são Visa e Mastercard. Quanto aos bancos aceitos, vamos a eles:

  • Bradesco;
  • Banco Next;
  • Banco do Brasil;
  • Itaú;
  • Banco Inter;
  • Nubank;
  • Sicredi;
  • Mercado Pago,
  • Woop.

Quais são os limites de pagamentos no Whatsapp Pay?

Existem limites, estabelecidos antes do lançamento do recurso, para os usuários que forem utilizar o Whatsapp Pay. Atualmente você terá o limite de até R$ 1.000,00 por transação e receber até 20 pagamentos por dia. No mês, você poderá no máximo movimentar até R$ 5.000,00, incluindo pagamentos ou recebimentos.

Quanto custa utilizar o Whatsapp Pay?

Para os usuários do Whatsapp que utilizarem a função de pagamentos, o custo é zero. Ou seja, nada será cobrado pela transação, seja um pagamento ou um recebimento de valor. Claro que você deverá ficar atento à sua conta e do saldo que há nela. Nem seu banco, nem o whatsapp cobrará pelo uso da ferramenta.

Sistema de Gestão

Para a sua empresa, utilizar o Whatsapp Pay pode ser um diferencial competitivo, já que elimina a necessidade de máquina de cartão de crédito, boleto ou qualquer outro meio conhecido. Também é importante observar que a empresa deverá controlar seus recebimentos e pagamentos feitos pela plataforma através de um sistema de gestão, para que tenha um controle efetivo de todas as transações realizadas. Não adianta facilitar os recebimentos e pagamentos da sua empresa utilizando o Whatsapp Pay e se perder no controle do fluxo de caixa, ou até mesmo dos clientes inadimplentes. Um sistema de gestão sempre será essencial para sua empresa.

É seguro utilizar o Whatsapp Pay?

Segundo o Facebook, empresa detentora do Whatsapp, a segurança da transação é garantida. O Facebook também garante que há um monitoramento antifraude, que dá uma proteção aos usuários, como por exemplo se houver alguma atividade suspeita na conta. A criptografia de ponta a ponta disponibilizada nas mensagens é um pouco diferente quando falamos dos pagamentos. A diferença é que nos pagamentos, o Facebook se comunica com terceiros, como o banco e a credenciadora.

O que é Marketplace, como vender e quais as vantagens

Se você já deve se perguntou o que é marketplace, mais ainda não conhece bem o que significa e como vender ou quais as vantagens deste canal de venda, fique ligado neste artigo. Marketplace é um modelo de negócio que é uma espécie de agregador de lojas virtuais ou mesmo pode ser entendido como um shopping virtual, que permite que o usuário, normalmente o consumidor final, possa comprar produtos de lojas diferentes em um mesmo lugar, com facilidade e segurança. Vamos conhecer os detalhes sobre este modelo de negócio no artigo abaixo.

O que é Marketplace?

O marketplace é basicamente uma plataforma de vendas. Ele consiste em um site que reúne diversos produtos, alocados muitas vezes por categorias, o qual milhares de vendedores tem a possibilidade de oferecer seus produtos de forma virtual e sem custos. Normalmente o marketplace tem uma visibilidade maior e mais relevante nas buscas online e isso permite que os vendedores, mesmo pequenos, possam aproveitar essa visibilidade do marketplace e aumentar suas vendas, em troca de uma comissão por venda. Existem os marketplaces onde vendedores de certos segmentos, de nichos específicos ofertam seus produtos e há os marketplaces que reúnes diversos segmentos, sem focar em um único segmento.

O conceito de marketplace surgiu no Brasil em meados de 2012. Atualmente uma das principais plataformas de vendas é a B2W, formada pela união da Submarino e Americanas. Outro grande marketplace e um dos mais usados no Brasil é o Mercado Livre.

Como vender através de um marketplace?

Para vender através de um marketplace é simples. Em primeiro lugar, você vai precisar escolher a plataforma que quer oferecer seus produtos, ou seja, aquela plataforma que tem sinergia com seu negócio e segmento. E depois, basta cadastrar seus produtos nesta plataforma. A maioria dos marketplaces oferece todo o conjunto de serviços necessários para a venda, como um checkout seguro para o cliente efetivar a compra, bem como as informações, custos e formas de entrega. Podemos dizer que o investimento para sua empresa começar a vender os produtos através de um marketplace são quase nulos enquanto que o retorno pode ser alto.

Quais as vantagens de vender através de um marketplace?

Podemos dizer que as vantagens de vender por um marketplace são:

  • Diversidade de público
  • Maior visibilidade dos produtos na internet
  • Aumento das vendas
  • Baixo investimento
  • Maior foco na venda e no produto
  • Possibilidade de escalar as vendas
  • Oferecer um lugar seguro e completo para o cliente fazer a compra
  • Menos preocupações com logística e pagamentos

Além dos benefícios citados acima, ainda podemos dizer que a venda através de um marketplace possibilita uma melhor experiência para o cliente, visto que as plataformas de marketplace investem muito em usabilidade, facilidade e segurança para os clientes e consumidores.

Sistema de gestão

Para tornar o processo de vender em um marketplace mais simples e gerenciar com mais eficiência os indicadores de estoque e de pedidos, é altamente recomendável a utilização de um sistema de gestão. Somente através dele é que a empresa conseguirá ter produtividade em sua operação e controlar as diversas variáveis envolvidas no processo de venda através de um marketplace. Além disso, é pelo sistema de gestão que sua empresa poderá automatizar a emissão da nota fiscal eletrônica e enviá-la automaticamente para o cliente, bem como gerenciar a entrega e o fluxo de caixa gerado pelas vendas.

Conclusão

Como podemos ver no artigo acima, os benefícios de começar a vender seus produtos através de um marketplace são inúmeros, ajudando a empresa a aparecer e crescer mais, oferecendo uma boa experiência para os seus clientes. Também vimos com um sistema de gestão é importante na rotina de uma empresa, para o gerenciamento e automatização dos processos. E você, já imaginou vender os produtos da sua empresa em um marketplace? Lembre-se que é fácil e o investimento é praticamente zero.

E ai, gostou do artigo? Não deixei de comentar e deixar suas sugestões para nós.

Até a próxima!

CRM: O que é e qual a sua importância

Em uma empresa, gerenciar diversas oportunidades de negócios com clientes e prospects não é uma tarefa fácil. É necessário organização e disciplina para que nenhum contato seja desperdiçado e nenhuma venda seja perdida. Gerar constantemente novas oportunidades também é um grande desafio para as equipes comerciais, além de cumprir metas e objetivos e manter o foco somente nas oportunidades certas. Mas então, como gerenciar tudo isso de forma realmente eficiente? Através de um CRM sua empresa poderá controlar todas estas variáveis. Mas você sabe o que é um CRM? Sabe como utilizar esta ferramenta na sua empresa e qual a sua importância? Neste artigo você vai saber mais sobre CRM: O que é e qual a sua importância nas empresas. Vamos conferir?

O que é CRM?

Antes de mais nada, a a sigla CRM significa Customer Relationship Management pode ser traduzida como gerenciamento ou gestão das relações com clientes. O CRM surgiu da necessidade de fazer uma gestão mais efetiva e produtiva da relação com os clientes de uma organização. Sendo assim muitas vezes o CRM é trazido em forma de um software que organiza e otimiza a rotina das pessoas, nas relações entre fornecedores e consumidores.

O conceito de CRM é uma estratégia que coloca o cliente no centro do processo comercial, utilizando a tecnologia para o gerenciamento das informações destes clientes, como o nome, telefone, endereço, perfil, e as interações envolvidas neste contato como as ligações efetivadas, as reuniões agendadas e as visitas. Através destas informações e das interações diárias com os clientes o CRM proporciona uma base de informações valiosa bem como dados estratégicos sobre os clientes, como suas preferências, histórico e perfil.

Qual a importância de um CRM?

A importância de um CRM se traduz na diminuição ou eliminação dos processos manuais e burocráticos no processo de vendas da empresa. Não menos importante, um CRM ajuda a empresa a criar um padrão de relacionamento com seus clientes e prospects. Este padrão resulta em mais produtividade e engajamento no processo de vendas por parte dos colaboradores. Além disso, o CRM faz com que haja um aumento no fechamento de vendas por haver um fluxo padronizado e estratégico na area comercial. Também é responsável por aumentar a satisfação dos clientes devido ao contato mais pessoal e feito na hora certa por parte dos vendedores.

Em tópicos, podemos citar que os benefícios da utilização de um CRM são:

  • Redução de processos manuais
  • Aumento da produtividade da equipe de vendas
  • Padronização dos processos internos na area comercial
  • Aumento das vendas
  • Aumento na satisfação dos clientes

Sistema de Gestão com CRM

Um dos pontos mais importantes ao adotar um CRM na sua empresa é a integração dele com todas as áreas do seu negócio. Ou seja, é essencial que ao fazer uso de um CRM, desde que ele esteja interligado com o setor financeiro, marketing e administrativo por exemplo, facilitando o processo e eliminando barreiras, problemas de comunicação e distâncias entre as equipes e colaboradores. A ferramenta que permite esta integração é o sistema de gestão empresarial. Através de um sistema de gestão com CRM, sua empresa ganha produtividade e um fluxo padronizado de trabalho. Também é através dessa ferramenta que a comunicação da empresa com seu cliente fica mais fluida e integrada, possibilitando que haja um histórico completo da vida do cliente em sua relação com a empresa.

Tipos de CRM

CRM em Nuvem

O CRM em nuvem é um software que permite sua utilização através de um navegador com salvamento de dados e armazenamento em nuvem, em servidores alocados no modelo SaaS (Software as a Service). Ou seja, podemos dizer que o CRM em nuvem não necessita de uma equipe de TI para que seja feita sua manutenção ou configuração. Em todos os casos, os softwares estão prontos para serem utilizados e a manutenção é por conta do fornecedor.

CRM Local

O CRM local é um software que necessita ser instalado nos computadores da empresa e precisa de uma pessoa ou uma equipe para instalar e configurá-lo para que possa ser utilizado. Este tipo de CRM normalmente foi mais utilizado na época em que o modelo SaaS (Software as a Service) ainda não estava tão acessível e difundido nas empresas.

Conclusão

Não por acaso, a maioria das empresas que aderiram a um CRM em suas operações de vendas e marketing colheram melhores resultados em comparação aquelas que não fazem uso de uma ferramenta similar. Mais do que uma ferramenta, é parte de uma estratégia que tem como objetivo o aumento das vendas e o melhor relacionamento e satisfação com os clientes.

MDF-e: O que é e como emitir

Com o avanço da tecnologia, além da melhoria nos processo internos e das ferramentas cada vez mais ao alcance dos micro e pequenos negócios, as empresas ganharam mais agilidade e praticidade na hora de emitir seus documentos fiscais. Um exemplo deste avanço foi a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), antes emitida de forma totalmente manual e burocrática pelas empresas. Outro bom exemplo foi a implantação do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) antes emitido também de forma manual. A legislação brasileira nestes quesitos vem promovendo mudanças consideráveis no que tange os documentos fiscais. Recentemente, a implantação do MDF-e, para as transportadoras de cargas, também vem para facilitar a expedição, transporte e fiscalização das cargas no processo de logística. É sobre este documento em particular que vamos conferir mais detalhes no artigo abaixo. MDF-e: O que é e como emitir ele na sua empresa. Vamos lá?

O que é o Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônico?

O manifesto de documentos fiscais eletrônico é um documento totalmente digital exigido pela SEFAZ. Ele tem a finalidade de registrar todas as operações de transporte, tanto para empresas que fazem seu próprio transporte das suas mercadorias, quanto para empresas que já emitem o conhecimento de transporte CT-e e realizam serviço para terceiros. O MDF-e veio para substituir o formato de emissão atual, feito em papel. Assim, agora este documento é emitido com assinatura digital, com validade jurídica. No manifesto de transporte constam as informações sobre as mercadorias que estão sendo transportadas, bem como as informações do motorista, do veículo e todas as informações advindas da NF-e e do CT-e, reunidas em um único documento. Os principais intuitos do documento é agilizar e simplificar o processo de fiscalização e facilitar a rotina e os processos dos contribuintes.

Então podemos dizer que o MDF-e:

  • É um documento fiscal eletrônico
  • Serve para agilizar o transporte e fiscalização das mercadorias
  • Agrega todas as informações sobre as mercadorias, NF-e, transporte, origem e destino, motorista e veículo
  • É emitido digitalmente e tem validade jurídica
  • Necessita de um certificado digital para emissão

Quem pode emitir o MDF-e?

Estão entre as empresas que emitem o MDF-e aquelas que fazem transporte próprio de suas cargas e mercadorias e aquelas que fazem este serviço para terceiros, sempre com a característica de carga fracionada. Para tal, a empresa deve seguir alguns requisitos:

  • A empresa necessariamente precisa estar credenciada como Emissora de CTe ou NFe junto a Secretaria da Fazenda (SEFAZ)
  • A empresa precisa ter um certificado digital válido para emissão de notas fiscais;
  • Contar com um sistema emissor, tanto de CT-e, quanto de NF-e e consequentemente o MDF-e que vai reunir as informações dos dois documentos anteriores.

Como emitir o MDF-e

Ao preencher os pré-requisitos acima, a empresa que precisa emitir o MDF-e vai fazer uso de um sistema emissor para tal. Dentre os mais conhecidos estão os sistemas de gestão empresarial, também chamados de ERP. Através deles é que a empresa conseguirá em poucos passos emitir o MDF-e aproveitando as informações contidas na NF-e e no CT-e. Também, será através do sistema de gestão que além de emitir, a empresa conseguirá armazenar os documentos emitidos, garantindo o acesso a qualquer momento e a segurança dos dados nele contidos.

Conclusão

Vimos como é importante a organização e emissão correta dos documentos fiscais, caso sua empresa seja uma transportadora, ou faça o transporte da sua própria mercadoria. Além da NF-e, a empresa deve cuidar do CT-e e das demais informações para preenchimento do MDF-e. No entanto, vimos também como um sistema de gestão pode agilizar todo esse processo na sua empresa, dando mais segurança e garantindo o armazenamento correto dos documentos emitidos. Se você quer que sua transportadora ou empresa seja competitiva no mercado, deve lembrar de investir em tecnologia e ferramentas que facilitem a rotina do seu negócio.

E ai, gostou do artigo? Não deixe de compartilhar e comentar abaixo suas dúvidas e sugestões.

Até a próxima!

Vendas pelo Whatsapp: 5 dicas para melhorar a performance da sua empresa

Não por acaso, o Whatsapp virou o aplicativo de mensagens instantâneas mais utilizado pelos brasileiros nos últimos anos, são mais de 120 milhões de pessoas na plataforma. Ele reúne a praticidade e a segurança necessária para uma comunicação assertiva e simples entre as pessoas e também entre empresas e consumidores. Com o passar do anos, as empresas começaram a vender mais e mais através do aplicativo, o que culminou até em um produto desenvolvido chamado Whatsapp Business. Mas, sua empresa adota alguma estratégia comercial para melhorar a performance das vendas? Ou está somente disparando mensagens para todo mundo e esperando as vendas acontecerem? Neste artigo vamos falar sobre as Vendas pelo Whatsapp: 5 dicas para melhorar a performance da sua empresa. Vamos lá? Confira no artigo abaixo.

Por que sua empresa deve vender pelo Whatsapp?

Fazer vendas pelo whatsapp permite que até mesmo aqueles pequenos negócios que estão começando agora possam se comunicar e se relacionar com clientes, sem fazer grandes investimentos em equipe, estrutura ou em equipamentos. Atualmente vender pelo Whatsapp é manter um canal aberto e ativo para gerar e converter leads em clientes. Mas isso não quer dizer que as vendas por este canal devam ser só se resumir a um canal. Sua empresa pode adotar estratégias para que a performance de vendas seja realmente maior. Isso quer dizer que você pode transformar o mensageiro em uma ferramenta realmente útil para alavancar alguns resultados do seu negócio. Ao utilizar o aplicativo, um vendedor por exemplo, pode dar atenção à diversos leads e clientes ao mesmo tempo, diferentemente do telefone, em uma ligação comercial. Outro ponto importante a ser considerado é que o Whatsapp aproxima mais as pessoas do que o e-mail ou outras formas de contato utilizadas.

Adapte seu processo de vendas para usar o Whatsapp

Um dos processos mais importantes quando surgem novos canais de aquisição de clientes para a empresa. A adaptação do processo de vendas, bem como a adaptação da equipe ao novo formato é essencial para que o Whatsapp traga mais performance ao setor comercial. O próprio whatsapp, como dito anteriormente, se adaptou às empresas, criando o Whatsapp Business. Então por que não adaptar seu processo e sua equipe para este novo canal? Adapte se possível todas as etapas do comercial, desde o primeiro contato/atendimento até o fechamento da venda. Não vale perder tempo neste processo muito menos se acomodar, tente fazer o máximo de adaptações no seu processo e escolha aquelas que mais deram resultados.

Crie uma forma padronizada de comunicação

Padronize a forma de comunicação da sua empresa, principalmente quando o Whatsapp é usado por diversos colaboradores. Além de criar uma comunicação padronizada, o processo evita até que linguagens ou abordagens inadequadas aconteçam, sem que os responsáveis da organização tenham controle sobre isso. Outro ponto importante da padronização da comunicação pelo Whatsapp é a possibilidade de promover melhorias, já que o processo de comunicação é único em toda a empresa, ajudando na análise do processo.

Defina metas para seus vendedores

Ao utilizar diversos canais para prospecção e vendas, a empresa precisa definir metas sobre quantos contatos foram efetivados, entre outras métricas, principalmente quando do uso do Whatsapp. Através de metas, os vendedores conseguirão ter uma visibilidade melhor do processo e do uso da ferramenta de comunicação no dia a dia.

Utilize o Whatsapp Business

Considere adotar o Whatsapp Business na sua empresa. Além de trazer mais segurança para a comunicação entre sua empresa e os clientes, também será possível analisar métricas sobre os contatos efetivados, como o número de mensagens enviadas, entregues e lidas, bem como criar etiquetas, respostas automáticas, entre outros recursos úteis para a rotina da sua empresa.

Utilize um sistema de gestão

Sua empresa precisar gerenciar os contatos, as vendas, o faturamento e tudo que envolve não somente a area comercial mas também o restante da empresa. Ao contar com um sistema de gestão, seu negócio terá uma integração total das vendas, com o financeiro, fluxo de caixa, estoque, prestação de serviços, etc.

E ai, gostou das dicas? Não deixe de comentar ou dar suas sugestões nos comentários abaixo. Até a próxima!

Capital de Giro: O que é e como calcular na sua empresa?

Grande parte das empresas com problemas financeiros tem uma característica em comum: a falta ou a má de gestão do capital de giro. Esta falta de controle do capital de giro leva muitas destas empresas à falência. É justamente o capital de giro que é o pilar financeiro para o negócio em momentos de gastos inesperados ou dificuldades financeiras. Sem essa gestão do capital de giro, a empresa não tem a real situação do quanto poderá contar em uma eventual necessidade, mesmo que pontual. Fizemos este artigo para que você entenda melhor o que é o capital de giro e como calcular ele na sua empresa. Confira!

O que é o Capital de Giro?

Podemos definir de maneira resumida que o capital de giro funciona como uma reserva financeira da empresa para ser usada em momentos de dificuldades financeiras ou mesmo para gastos inesperados. Normalmente o capital de giro deve sustentar a empresa por no mínimo um mês. Também há um consenso que o capital de giro deve conseguir pagar os custos fixos da organização pelo período de três meses. Portanto é necessário que o capital de giro se mantenha positivo para que quando necessária sua utilização ele realmente esteja disponível. Para que o capital de giro se mantenha positivo é necessário que a empresa não assuma dívidas contando com receitas futuras nem tão pouco parcelar ou dar condições muito extensas nas negociações com clientes. É preciso prestar atenção na liquidez do negócio, ou seja, ter uma visão a longo prazo.

Como calcular o capital de giro na sua empresa?

O capital de giro considera em seu cálculo o ativo circulante e o passivo circulante da empresa, em uma operação de subtração. O ativo circulante (valores em caixa, mercadorias, aplicações financeiras, contas a receber, entre outros) será subtraído com o passivo circulante (impostos a pagar, despesas administrativas, de fornecedores, etc) para termos então no final o valor real do capital de giro da empresa. A empresa pode tomar ações a qualquer momento para aumentar o capital de giro e, para isso, terá que contar com ferramentas e soluções que possibilitem que ela gere informações de todas os setores, como um sistema de gestão. Somente através de um sistema de gestão a empresa poderá controlar suas contas a receber, as aplicações e o fluxo de caixa bem como as contas a pagar, as despesas e o controle dos fornecedores das mercadorias.

Sistema de Gestão

Como dito acima, um sistema de gestão é um instrumento estratégico para o controle e gestão do ativo e passivo circulante da empresa. Um dos setores mais beneficiados com um sistema de gestão é o setor financeiro. Com um software financeiro sua empresa poderá ter a real noção dos valores a receber e a pagar. Além disso, com um fluxo de caixa desenhado e com relatórios precisos, você terá todas as ferramentas que precisa para tomar uma decisão mais acertada. Além disso, um sistema de gestão possibilita uma visão mais clara e estratégica de toda a organização, dando mais produtividade na operação e mais previsibilidade financeira para o gestor da empresa.

Conclusão

Reunimos mais algumas dicas para você controlar o capital de giro na sua empresa:

  • Negocie bem com clientes e fornecedores: Negociar com clientes e fornecedores é essencial. Tente antecipar os recebimentos de contas a receber e postergar as contas a pagar. Isso trará mais capital imediato para sua empresa.
  • Corte Gastos: Acompanhe o fluxo de caixa da sua empresa e corte os gastos sempre que possível.
  • Tenha disciplina financeira: Ter disciplina é controlar todos os detalhes financeiros, e não gastar sem cobrir algum gasto que ocorreu na empresa.

E aí, gostou do artigo?

Não deixe de comentar ou deixar suas sugestões nos comentários abaixo. Até a próxima!

Recorrência: o que são pagamentos recorrentes e como utilizar na sua empresa

Diferentemente do modelo de vendas pontuais, os pagamentos recorrentes são caracterizados por terem uma automação na gestão dos seus recebimentos e pagamentos. Isso quer dizer que, para uma empresa que utiliza o modelo de pagamentos recorrentes, podem surgir diversos desafios e mais complexidade no controle financeiro do que em vendas pontuais. Você quer saber mais sobre este modelo de recorrência? No artigo abaixo vamos explicar melhor o que são os pagamentos recorrentes e como utilizar eles na sua empresa. Vamos lá?

O que é recorrência?

O modelo de recorrência é quando uma empresa recebe mensalmente um valor pré-fixado pela venda de um produto ou serviço, como uma mensalidade ou assinatura. Este modelo de assinatura não é fácil de ser gerenciado e é mais complexo que as vendas pontuais. Recorrência: o que são pagamentos recorrentes e como utilizar na sua empresa? A resposta para esta pergunta é que a recorrência também possui algumas peculiaridades conforme o mercado o qual a empresa está inserida e possui diversas variáveis a serem consideradas em sua gestão. Por outro lado, se corretamente gerenciada, a recorrência traz inúmeros pontos positivos como a previsibilidade de receita, do faturamento, o melhor controle da inadimplência e melhor controle dos insumos.

Projeção de receitas

Um dos grandes pontos altos do modelo de recorrência é a possibilidade de projetar as receitas para os próximos meses. Esta possibilidade de prever as receitas muda tudo. Diferentemente das vendas pontuais onde o foco é na lucratividade, a venda recorrente é focada no desempenho das vendas, na performance comercial e na fidelização do cliente. Muitas empresas que adotaram o modelo de receita recorrente focam muito no chamado ‘sucesso do cliente’ que é um setor da empresa inteiramente dedicado no contato com o cliente, na ajuda ou treinamento se necessário, e no entendimento das necessidades do cliente, levando o mesmo à satisfação pelo uso do produto ou serviço.

Como utilizar os pagamentos recorrentes na sua empresa

A melhor forma de utilizar os pagamentos recorrentes na sua empresa é gerenciando tudo através de um software de gestão financeira. Isso quer dizer que você não precisa conhecer a fundo o modelo para iniciar suas vendas recorrentes. Atualmente muitos sistemas oferecem ferramentas fáceis de utilizar para controlar e gerar pagamentos recorrentes para sua empresa. O primeiro passo é encontrar alguns softwares que oferecem este recurso. O segundo passo é escolher um deles e iniciar o uso, colocando todas as informações de recebimentos e pagamentos dentro do software. Isso será importante não só pela base de dados que será criada mas também pela segurança das informações.

Benefícios de adotar o modelo de recorrência

  1. Maior Fidelização dos Clientes
  2. Previsão das Receitas e Lucros da Empresa
  3. Automatização das Cobranças e Recebimentos
  4. Baixo Custo de Operação
  5. Previsibilidade da Necessidade de Mão-de-Obra
  6. Segurança das Informações dos Clientes

Conclusão

Como podemos ver o modelo de pagamentos recorrentes é muito vantajoso quando bem estruturado pela empresa. Além de colher os benefícios da previsibilidade de receita, clientes e lucros a empresa também cria um ambiente para inovações e criações. Com a automatização do processo de recorrência, todos os envolvidos no processo ganham mais tempo para tarefas mais importantes do negócio.

Conheça as etapas para a implantação de ERP em uma empresa

Muito se sabe sobre os benefícios que um sistema ERP para gestão empresarial pode trazer para uma empresa, seja ela micro, pequena ou grande. Mas você conhece as etapas para a implantação de um ERP na sua empresa? Existem diversos tipos de ERP, empresas e necessidades, por isso é válido fazer primeiramente uma análise das necessidades da empresa em relação aos recursos oferecidos pelo sistema, por exemplo. No artigo abaixo, vamos explicar as etapas para implementação de um sistema ERP em uma empresa. Começaremos explicando o que é um sistema ERP, em seguida explicaremos quais são os benefícios de um ERP e por último quais são as etapas que a empresa precisa passar na implantação do ERP. Vamos conferir?

O que é um sistema ERP?

Um sistema ERP pode ser compreendido como um sistema que possibilita que a empresa possa gerenciar suas operações, informações e documentos de forma digitalizada e eficiente. Além disso, o sistema fornece a estrutura necessária para que a organização gere informações em formato de relatórios sobre suas operações, auxiliando assim a tomar melhores decisões. Também podemos dizer que um sistema ERP é um conjunto de recursos e ferramentas desenvolvidas para dar mais agilidade e produtividade na rotina de uma empresa. Além de ajudar na gestão do negócio, um sistema ERP também traz segurança para a empresa, visto que os dados como notas fiscais, lançamento financeiros e vendas estarão em um lugar seguro e sempre acessível.

Quais são os benefícios de um ERP nas empresas?

Podemos dizer que um sistema ERP é a base para o crescimento de uma empresa. O sistema por si só traz imediatamente a produtividade já que grande parte dos processos de uma empresa podem ser feitos através dele, como a emissão de notas fiscais, emissão de boletos bancários, lançamentos financeiros e vendas. Um sistema ERP também fornece a integração entre os setores de uma empresa, conectando as operações e informações em uma única plataforma. Outra característica do ERP é sua capacidade de criar uma cultura de organização, onde todos os colaboradores permanecem engajados no modo de operação do sistema, criando uma organização das tarefas e da própria rotina, trazendo produtividade geral para a organização.

Quais são as etapas na implantação de um ERP em uma empresa?

Podemos elencar as etapas da implantação de um ERP na seguinte ordem:

  • Elencar as demandas da empresa
  • Realizar uma pesquisa de ERP no mercado
  • Realizar Testes
  • Escolher o ERP que se encaixa nas demandas da empresa
  • Definir os usuários do sistema
  • Realizar o treinamento da equipe
  • Adequar processos

Acima, vemos que primeiramente a empresa deve fazer uma análise das suas operações e atividades elencando suas demandas, os pontos fortes e fracos da gestão e as necessidades sentidas. Com esta análise feita a empresa parte para uma pesquisa dos fornecedores de ERP do mercado e realizando os testes nas ferramentas. Através dos testes realizados é hora de fazer a escolha do software de gestão que melhor se encaixa na realidade da empresa e nas suas demandas elencadas. Assim que o ERP estiver sido escolhido é hora de definir os usuários da empresa que farão uso da ferramenta e solicitar o treinamento para esta equipe. Caso seja necessário, a empresa deve considerar adequar alguns processos para que o sistema possa atendê-la perfeitamente.

5 motivos para sua empresa abandonar as planilhas em Excel

Diante de um cenário de crescimento, os desafios de uma empresa também crescem. Seja o desafio de gerenciar melhor o fluxo de caixa, otimizar o controle de estoque ou mesmo emitir notas fiscais, é necessário que a empresa invista no controle e tratamento das informações geradas em todas essas operações. Grande parte das empresas começam este controle através da planilha, que é uma forma barata e simples de remediar a questão. Porém, esta forma de controle pode causar sérios prejuízos e problemas para a organização. No artigo de hoje vamos apresentar 5 motivos para sua empresa abandonar as planilhas em excel.

1. Segurança

Fato desconhecido pela maioria das empresas, a falta de segurança ao utilizar planilhas é um dos fatores cruciais para sua empresa abandoná-las imediatamente. Ao usar planilhas em excel, você não conseguirá garantias de que esses dados estarão seguros na sua empresa, pois as planilhas em excel são arquivos facilmente corrompíveis. Seja para alterar dados ou mesmo excluí-los sua empresa não terá um produto confiável para armazenar suas informações.

2. Produtividade

Ao utilizar planilhas para o controle e gestão da sua empresa, você perde produtividade, tanto dos seus colaboradores quanto da empresa em geral. Sabemos quanto a produtividade é importante para sua empresa se manter competitiva no mercado, então um dos desafios para aumentar a produtividade é abandonar os controles das planilhas em excel.

3. Análise de Dados

Ao utilizar uma planilha em excel para fazer o controle financeiro por exemplo, a empresa perde a chance de analisar dados valiosos, só possíveis através de um sistema de gestão. Seja qual for a situação do negócio, dados sobre vendas, estoque ou mesmo notas fiscais são ouro para uma organização. Então na hora de escolher por onde você fará o controle da sua empresa, pense nisso. Sem dados e sem uma análise assertiva sobre eles, não há forma de tomar uma decisão precisa sobre a empresa.

4. Mobilidade

Fazer a gestão da sua empresa através de planilhas em excel não é a melhor escolha quando tratamos de mobilidade. Planilhas são arquivos que ficam nos computadores da empresa e só podem ser acessados se você estiver lá. Não há como criar usuários muito menos fazer backup das suas informações. Se você estiver fora da sua empresa, as planilhas deixarão você na mão. Este com certeza é um motivo forte dos 5 motivos para sua empresa abandonar as planilhas em excel.

5. Experiência do Usuário

Utilizar planilhas não é sinônimo de facilidade e interatividade com o usuário. Planilhas em excel são arquivos muitas vezes trabalhosos e complicados, com fórmulas e formatações distintas. Já um sistema de gestão por exemplo, é um sistema pensado para facilitar a vida do usuário ao pensar em todos os aspectos do uso no dia-a-dia.

5 dicas para sua empresa ter um site mais profissional

Sabemos o quanto é importante que uma empresa tenha um site para que possa estar presente na internet e ao alcance de um público maior, mas você já parou para pensar em como deixar o site da sua empresa mais profissional e assim melhorar o desempenho das suas vendas e do seu negócio? A primeira impressão é a que fica, não é mesmo? Um site mais profissional não somente dará um crescimento de suas vendas como também fará sua marca crescer, principalmente nas buscas pela internet bem como ativamente pelos seus clientes todos os dias. No artigo abaixo daremos 5 dicas para sua empresa ter um site mais profissional. Bora conferir?

1.Objetivo

Para um site ser profissional ele deve ser objetivo. Isso quer dizer que ele deve ser eficiente quando entrega a informação principal para o visitante e potencial cliente. Mostrar seu serviço ou produto logo nas primeiras sessões do site é algo essencial para que o cliente encontre logo a informação que precisa e então tomar uma decisão. É comum vermos sites com várias páginas e que separam muito as informações principais, confundindo o cliente. Seja objetivo e deixe todas as informações essenciais sobre seu negócio e sobre o que ele oferece logo ao alcance do seu cliente.

2.Conteúdo

Antes de mais nada, um site profissional para sua deve ter conteúdo, mas não qualquer conteúdo. Um site eficiente entrega um conteúdo objetivo e focado na solução e/ou produto que sua empresa vende. Este conteúdo deve ser bem escrito e deve estar de acordo com o que seus clientes procuram. O conteúdo também é relevante para os buscadores, como o Google, onde o conteúdo entregue faz com que sua empresa cresça nas buscas orgânicas por exemplo, dando mais visibilidade para sua empresa e mais autoridade para sua marca.

3.Design

Se você quer que seus clientes fiquem encantados e com vontade de comprar seus produtos ou serviços quando acessarem seu site, então você deve apostar no design. É importante que o design envolvido no site esteja de acordo com sua cores e com o estilo da sua marca. Um design para um site profissional não deve ser carregado de efeitos especiais. É importante que ele harmonize de forma clara com o objetivo do site e que possua uma paleta de cores que agrade ao visitante. Também não podemos esquecer da disposição das imagens e dos textos. Neste sentido temos que ter atenção à usabilidade e dar sempre preferência à facilidade de navegação do usuário.

4.Estrutura

Para que um site faça realmente a diferença em suas vendas e no reconhecimento da sua marca, você deve olhar para a estrutura do seu site. A estrutura de um site compreende o número de páginas, a escolha das páginas mais importantes, a colocação correta dos textos e imagens, e a organização do layout como um todo, desde o cabeçalho até o rodapé. Ao fazer um site profissional a estrutura é a base para o sucesso. É a estrutura que deixará o site com um aspecto confiável e ao mesmo tempo fácil de usar, assim como um sistema de gestão traz confiança na rotina da empresa.

5.Plataforma

Ao fazer um site profissional para a sua empresa, você deve escolher a plataforma ideal para isso. Existem diversas plataformas para sites, mas poucas que disponibilizam e oferecem um aspecto realmente profissional para o seu site. Na maioria das vezes o empreendedor não conhece e não sabe como fazer um site, escolher uma plataforma, cuidar da estrutura, do design, das cores, do objetivo e ainda escrever o conteúdo. Para isso existem empresas que cuidam de todo este processo, desde a criação do site e da estrutura ideal para o seu negócio até o conteúdo e a distribuição correta dentro dele juntamente com as imagens. Ao adotar uma empresa assim, você ganha tempo para se preocupar com as tarefas e atividades que realmente domina.